Conheça os 9 principais benefícios que as músicas infantis proporcionam às crianças

Você sabia que quando uma criança tem contato com a música ela pode desenvolver suas atividades com maior facilidade? Pois é. Os benefícios das canções infantis são muitas, mas nós separamos aqui nesse artigo os 9 principais. Confira!

Expressão corporal

Através da música, a criança tem maiores possibilidades de se expressas através do próprio corpo. Isso porque o contato com o som e a música acaba provocando estímulos naturais na criança, que podem ser demonstrados quando ela ouve uma música que gosta por exemplo, ou quando canta, ou na realização de movimentos mais refinados, como bater palma, tocar um determinado ritmo ou fazer um acorde. Diversos pediatras explicam que isso acontece pois a criança, quando exposta à músicas, fica com desejo de mexer o corpo e acompanhar o ritmo.

Os especialistas ainda defendem que esse é um dos aspectos mais importantes do contato com o aprendizado musical, pois a melodia, o ritmo e as letras despertam sentimentos e convidam as pessoas a se expressarem.

Além disso, as músicas também são muito indicadas para auxiliar no desenvolvimento de crianças que apresentam alguma patologia, como autismo, síndrome de down, falta de atenção, depressão, e até mesmo para pessoas em coma.

Musicalização

O escritor Rubem Alves, em seu livro “A Alegria de Ensinar”, já defendia que: “Se fosse ensinar a uma criança a beleza da música não começaria com partituras, notas e pautas. Ouviríamos juntos as melodias mais gostosas e lhe contaria sobre instrumentos que fazem a música”.

A musicalização consiste em ensinar os elementos da linguagem sem que haja uma preocupação inicial com a parte técnica do instrumento. Dessa forma, a criança consegue perceber elementos como pulsação e forma, de maneira divertida. Como se fosse uma brincadeira.

A musicalização é indicada para bebês de 1 ano até crianças de 10 anos – idade em que elas costumam ser direcionadas ao aprofundamento do aprendizado. Claro que cada faixa de idade possui suas próprias atividades, e o objetivo é que essa atividade seja praticada pela criança como sendo uma parte prazerosa de sua rotina.

Vale ressaltar ainda que a musicalização infantil realiza um trabalho que pode anteceder os estudos direcionados a um instrumento, mas não é necessário passar por ela para depois aprender a tocar algo. O que acontece é que quando imersa nesse ambiente, a criança tendem a ser expostas a diferentes sons, ritmos e melodias. Além disso, acabam tendo contato com brinquedos como apitos e chocalhos até itens mais elaborados, como flauta doce, xilofone, violão, bateria, e muitos outros instrumentos.

Coordenação motora

Você pode pensar que estamos exagerando, mas é fato que somente o fato de a criança segurar um instrumento musical sozinha, ela já está desenvolvendo e exercitando a motricidade fina – que trata-se da nossa capacidade de usar os pequenos músculos do corpo – e também a motricidade grossa, que consiste na utilização de músculos grandes do corpo – como movimentos de braços e pernas.

Especialistas explicam os melhores instrumentos a serem utilizados para essa finalidade são os instrumentos de corda e piano, porque exigem diferentes ações ao mesmo tempo das mãos. É claro que a coordenação motora vai sendo aprimorada com o tempo e deve ser vista como uma conquista que a criança alcança sozinha, com seu próprio trabalho e esforço.

Foco

Muitos médicos já relataram que acompanharam crianças com dificuldades em prestar atenção que apresentaram grandes avanços após serem expostas a atividades musicais.

Isso acontece, principalmente, porque quando a criança está participando de uma atividade, ela precisa estar atenta para conseguir acompanhar e cumprir o que está sendo proposto. Principalmente se ela está em uma atividade em grupo, vai cantar um trecho da música ou tem seu próprio solo instrumental em uma apresentação. Para conseguir realizar a ação, ela precisa estar totalmente focada.

 

Contato com outras culturas

Esse também é um ponto muito importe pois a música é universal e é expressada de formas diferentes, conforme a cultura em que está inserida. E é justamente essa proximidade que irá possibilitar que a criança tenham contato com o folclore e costumes de outros povos. Bons exemplos disso são instrumentos como o bongô, o atabaque e a timba, que podem introduzir as crianças a estilos africanos e cubanos, por exemplo.

Além disso, é muito comum que as crianças aprendam a história dos instrumentos em aula, o que acaba sendo um verdadeiro intercâmbio cultural e uma excelente forma de criar empatia por diferentes ritmos e povos.

Criatividade

O desenvolvimento da criatividade é considerado um dos principais triunfos da música infantil. O gerente da escola Yamaha Musical do Brasil, Aoki Tadanori, explica que desde bem pequenos os seus alunos são estimulados a compor, criar arranjos e improvisar. Segundo ele: “É muito bonito e gratificante ver nossos alunos de 4 anos criando acordes com duas notas ou músicas com poucas palavras. É uma grande conquista para eles”, completa.

Memória

A Universidade de Northwestern, nos Estados Unidos divulgou uma pesquisa em 2011 que contou com uma turma de 60 alunos, de 6 a 9 anos. Na pesquisa, 29 desses alunos já tinham contato com a música desde pequenos. O resultado constatou que o contato com o meio musical auxilia no desenvolvimento da memória. Isso porque alguns elementos encontrados na música, como timbre, tempo e tom, fizeram com que as crianças desenvolvessem a memória de forma mais rápida que as outras que não tinham contato com músicas infantis.

Muito disso se deve ao fato de a criança querer decorar as letras de suas canções preferidas para poder cantar junto. Além disso, aprender uma música ou cantar, é necessário exercitar a memória sequencial.

Desenvolvimento da linguagem

Assim como a criança deseja memorizar suas canções preferidas para poder cantar junto, ela também quer cantar de forma correta. Quando uma criança é exposta a músicas infantis, por exemplo, ela vai armazenando as palavras que escutou ao seu domínio. E isso vale mesmo para as crianças bem pequenas, que ainda não estão alfabetizadas, pois ela tende a ir adquirindo, ao longo do aprendizado, os elementos que irão ser úteis para a formação das frases. Sem contar a dicção, que é outro aspecto que também irá ser aprimorado por meio da música.

Contato com matemática

Você sabia que o famoso matemático Pitágoras, que hoje é considerado pela ciência um grande pesquisador de música, teve seu primeiro experimento musical ao esticar uma corda e perceber que sua vibração emitia um som? Isso mesmo!

O matemático Pitágoras e a sua experiência é apenas uma das diversas provas de que a música está diretamente ligada com a matemática. Especialista defendem que a música é uma constante contagem de tempo e trabalha o raciocínio lógico, habilidade muito utilizada no ensino da matemática. Isso porque um dos principais exercícios musicais é o aprendizado das escalas, para isso, o aluno precisa saber diferenciar um tom de um semitom, uma oitava de uma corda solta. Isso é pura matemática.

Além disso, diversas músicas infantis ensinam as crianças a somar, diminuir, identificar os números, dentre outras ações, de forma bem dinâmica, fácil e divertida.

 

Call to action Animazoo